Notícias

Governo do Estado entrega cerca de 1.000 cestas básicas para famílias afetadas por chuvas no Bico do Papagaio

22/03/2020 - Alexandre Alves e Carlos Eller/Governo do Tocantins

Com as fortes chuvas que atingiram a região do Bico do Papagaio, muitas famílias tiveram suas casas invadidas pelas águas, das chuvas e dos rios que transbordaram. Como primeira ação, o governador Mauro Carlesse decretou situação de emergência e determinou o fornecimento de cestas básicas para as famílias de baixa renda que foram afetadas. A entrega de cerca de 1.000 cestas teve início neste sábado, 21, no município de Araguanã. Ação está sendo realizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setas), da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiro Militar e da Civil Estadual.

As cheias e os estragos causados pelas chuvas impactaram a vida de 180 famílias no município de Araguanã, região do Bico do Papagaio, que estão desalojadas e desabrigadas. Samuel Cardozo, de 48 anos, conta que viu a casa dele, do dia para noite, ficar em baixo d’água e perder quase tudo que conquistou com muito trabalho. “Essa enchente do rio Lontra está sendo uma das maiores dos últimos 40 anos, de uma hora para a outra encheu tudo”, contou.

A dona de casa Maria de Jesus Gomes, que também teve a residência afetada pela enchente do rio Lontra, está abrigada no Colégio Municipal Tiradentes, também em Araguanã. Ela afirmou que a cesta básica recebida vai amenizar a situação difícil que vem passando. “É muito importante isso que o Estado está fazendo, porque a maioria da população precisa mesmo dessas cestas. Vai ajudar muito”, pontuou, sem esconder o contentamento pela ajuda recebida.

Neste sábado, mais de 200 cestas foram entregues para famílias de Araguanã e também do município vizinho, Carmolândia. A ação continua neste domingo, 22, em São Miguel. De acordo com o secretário da Setas, José Messias Araújo, a estimativa é atender cerca de 800 famílias nessa primeira etapa. “É metodologia de Governo atender essas famílias vulneráveis que foram atingidas pelas fortes chuvas na região e desabrigando centenas de famílias. A princípio, por decreto, vamos atender a população da região de Araguanã e São Miguel, mas existem outros municípios que também estão sofrendo com a situação e serão atendidos futuramente”, explicou o secretário.

Prevenção à Covid-19

O comandante do Corpo de Bombeiros e coordenador Estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Reginaldo Leandro, ressaltou que mesmo nessa ação humanitária, os agentes do Corpo de Bombeiros, além de auxiliar na entrega das cestas e no socorro à população, estão dando orientações para que as pessoas se previnam de forma a evitar o contágio pelo novo Coronavírus, causador da Covid-19.

Os agentes estão usando luvas e máscaras com o objetivo de evitar qualquer propagação da doença. “Vivemos uma pandemia mundial e, aliado a essa ação, estamos dando orientações e suporte para centenas de famílias que foram afetadas aqui no Bico do Papagaio com as enchentes. Por conta disso, como forma de prevenção, estamos entregando as cestas básicas isoladamente, evitando o contato físico e a aglomeração das pessoas", afirmou o coronel Reginaldo Leandro.

Áreas afetadas

Há registro de desabrigados também em Araguatins, Carmolândia, São Sebastião, Xambioá, São Bento e Esperantina. As cinco cidades ficam às margens dos rios Tocantins, Araguaia e Lontra, onde as águas subiram e deixaram casas atingidas, impactando os moradores.

A Defesa Civil Estadual recomenda à população afetada por essas inundações e alagamentos, que antes de tudo deve-se salvar e proteger a própria vida, a de familiares e amigos. Se precisar retirar algo de sua casa, após a inundação, peça ajuda à Defesa Civil ou ao Corpo de Bombeiros; coloque documentos e objetos de valor em um saco plástico bem fechado e em local protegido.

Nunca se deve beber água de enchente ou comer alimentos que estiveram em contato com as águas da inundação. A orientação ainda é sair do local inundado e procurar abrigo onde a família possa se alojar, como casa de parentes e amigos. Em casos como esse, o poder público disponibiliza alojamentos e casas de abrigo para população afetada. Entre em contato com a Defesa Civil local ou ligue para emergência 199 (Defesa Civil) e 193 (Corpo de Bombeiros Militar).

 

Edição: Lenna Borges

Revisão: Marynne Juliate

Compartilhe esta notícia