Notícias

Projeto de Economia Solidária desenvolvido no extremo Norte do Tocantins se torna exemplo para outros municípios

26/02/2019 - Cristiane Lima/Governo do Tocantins Fotos: Wandson Santos (Araguatins)

Um processo de compra consciente, sem disputa de preços, que envolve diretamente quem produz e quem compra, fortalecendo relações de amizade e fidelização, além de ser um espaço de interação social. Tem sido assim todas as quartas-feiras em Araguatins, extremo norte do Tocantins, no final da tarde, em frente à Rodoviária do município. Por meio do projeto Ecosol Territorial, os produtores e artesãos da região estão tendo a oportunidade de valorização da agricultura familiar e de desenvolvimento da economia solidária, comercializando seus produtos diretamente com o consumidor.

Para o secretário estadual do Trabalho e Desenvolvimento Social - SETDS, Messias Araújo, o desenvolvimento do projeto Ecosol na cidade já é modelo para todo Estado de como fortalecer organizações de Economia Solidária, como estratégia de desenvolvimento social, potencializando a geração de trabalho, emprego e renda para as famílias inseridas na Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários - CADSOL e no  Cadastro Único. No Tocantins, 503 empreendimentos são cadastrados nesta modalidade. “Nosso foco é trabalhar para fortalecer programas como este, que vão de encontro às demandas da sociedade, além de estarem em consonância com o novo modelo de gestão do Governo do Tocantins de fortalecimento e desenvolvimento dos municípios”, completa.

Celda Maria da Cruz, Neci Gonçalves e Rosane de Melo possuem atividades diferentes na cidade, mas têm em comum o reforço no orçamento familiar que a participação na feira trouxe para elas. Celda vende bolos e salgados e com as vendas da feira ajuda a filha Mariana na faculdade, que estuda em Araguaína. Já a dona Neci, que trabalha na horta com o esposo, os dois filhos e a nora e vende as hortaliças diariamente, diz que as vendas na feira têm feito a diferença no final do mês. Já a Rosane, que vende bolos e pães às quartas e domingos, argumenta que a feira Ecosol tem feito a diferença para a economia do município.

A feira Ecosol em Araguatins tem tomado grandes proporções a cada dia. Hoje, já são 180 feirantes cadastrados, dentre agricultores e artesãos do município e dos assentamentos vizinhos. A secretária municipal de Desenvolvimento Social e Habitação, Jacqueline Parreão, explica que a feira cresceu tanto que demandou uma praça de alimentação. “Este é um espaço legítimo de divulgação e valorização da produção local, porque aproveita a matéria-prima da região, incentiva a produção local e contribui com a geração de renda de centenas de famílias”, pontua.

Objeto de estudo para a mestranda em Desenvolvimento Rural e Gestão de Empreendimentos Agroalimentares do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará, Aline Correa, a feira tem auxiliado fortemente no desenvolvimento econômico e social do município e o objetivo é aprimorar espaços e processos para que os impactos positivos sejam cada vez maiores. “Serve de ponto de encontro e socialização da comunidade em geral, proporciona aos visitantes uma variedade de produtos de qualidade e incentiva os feirantes e a comunidade sobre a importância da organização através do associativismo e cooperativismo”, completa.

Ecosol Territorial

O projeto da Ecosol Territorial é fruto de uma parceria entre a SETDS, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação de Araguatins e o Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária – SENAES. Hoje, o projeto Ecosol Territorial está instalado em 17 municípios, por meio de pontos de apoio, subdivididos em três macrorregiões (Territórios da Cidadania): Bico do Papagaio, Jalapão e região Sudeste do Estado. Em cada cidade, agentes de desenvolvimento local, sob monitoramento da Setas, trabalham na identificação, capacitação e assessoramento dos empreendimentos solidários.

Sobre o Ecosol Territorial, o responsável pela execução técnica do projeto na SETDS, Valter Frota, explica que a pasta faz a gestão administrativa, financeira e operacional do projeto, enquanto o Conselho Estadual de Economia Solidária monitora a efetiva implementação das ações e o alcance dos resultados esperados.

Os 17 municípios que integram hoje o projeto são: Esperantina, Sampaio, São Miguel do Tocantins, Carrasco Bonito, Axixá do Tocantins, Araguatins e Augustinópolis, na região do Bico do Papagaio; Lagoa do Tocantins, Mateiros, Rio Sono, Santa Tereza do Tocantins e Ponte Alta do Tocantins, na região do Jalapão; e Rio da Conceição, Porto Alegre do Tocantins, Paranã, Taipas do Tocantins e Dianópolis, na região Sudeste.

Compartilhe esta notícia